[ editar artigo]

Como organizar uma viagem para o Chile, com esse roteiro que preparei, não vai ter erro

Como organizar uma viagem para o Chile, com esse roteiro que preparei, não vai ter erro

Fala sério! Você está louco para viajar, acertei? Certeza que sim! Se está contando os dias para conhecer o Chile, este é o lugar certo. Resolvi te contar tudo que me ajudou a fazer uma viagem mais tranquila para o país e acertar no roteiro do começo ao fim.

Você vai descobrir como organizar uma viagem para o Chile do zero, com dicas de passagens, seguro de viagem e os pontos turísticos que não podem faltar. Ah! Eu vou te contar também sobre os melhores passeios em Santiago e onde ver neve no Chile.

Então se prepare que não tem erro. Esse conteúdo tá completinho para você fazer uma viagem 10/10 e voltar disposto a convencer todos os amigos a fazerem o mesmo roteiro. Partiu?

Por que conhecer o Chile

Da região dos Lagos Andinos ao Deserto do Atacama com as paisagens de salinas e lagunas de tirar o fôlego, o Chile tem opções para todos os gostos. E eu te garanto, a viagem vale muito a pena.

Antes de bater o martelo, dei uma pesquisada no SERNATUR, Serviço Nacional de Turismo do Chile e gostei do que li. Em 2018, teve um aumento de 8,1% no número de brasileiros visitando o país. 

Isso me ajudou muito a saber como organizar uma viagem para o Chile, já que ele é um dos destinos mais procurados pelos brasileiros.

Se em algum momento você se perguntou “o que fazer no Chile?”, eu preciso dizer que suas dúvidas estão com os dias contados porque você vai sair daqui com cada segundo das suas férias planejado. Então, vamos lá!

A capital Santiago é, sem dúvidas, uma das cidades mais visitadas por turistas do Chile e por isso foi minha primeira parada. Por estar localizada em um ponto central, se hospedar nela para depois ir visitar outras cidades vizinhas é uma boa ideia. 

Eu conheci também outras cidades, como San Pedro de Atacama, Valparaíso e Viña del Mar. Essas são as que mais recebem turistas do mundo todo.

Porque Santiago é tão especial

Eu me surpreendi com o visual incrível de Santiago. A paisagem é uma mistura de cidade grande, com belezas naturais que criam o contraste certo. São tantas opções de parques, museus, vinícolas… Isso sem falar do mirante que permite uma vista privilegiada.

Dependendo da época do ano, é possível ver neve em Santiago. Eu experimentei ir entre julho e setembro e curti muito os passeios nas estações de esqui. Ah! Visitei também o Patio Bellavista e me apaixonei pela culinária local. Os pratos são de dar água na boca.

Alguns desses passeios é possível fazer a pé, é só usar o Google Maps ou outro app de localização, que foi o que eu fiz quando visitei o Centro Histórico da cidade. Também experimentei usar transporte público. As linhas de metrô passam por muitos bairros e é bem fácil de se situar. 

E se economia não for sua prioridade, táxis e aluguel de carros também são uma opção.

Como organizar uma viagem para o Chile

Bem, preciso começar dizendo que passei 8 dias no país e deu para fazer muita coisa e conhecer muitos lugares bem legais. Mas, entendendo que nem todos têm tanto tempo assim, então resolvi dividir esse roteiro de viagem em duas partes.

A primeira vai ser um roteiro de 8 dias para quem tem mais tempo livre para conhecer as cidades turísticas e o segunda vai ser um roteiro de 5 dias para quem tem  tempo mais curto. As duas opções valem muito a pena.

O que fazer em 8 dias no Chile

Dia 1: Eu visitei o Centro Histórico de Santiago e as várias praças, parques e museus da capital. Te aconselho a fazer isso no primeiro dia e finalizar em alguma cafeteria no centro ou em um barzinho.

Dia 2: No segundo dia vale a pena fazer um bate e volta na Cordilheira dos Andes, um dos lugares que mais amei. São pouco mais de 2 horas e dá para ir de carro ou ônibus.

Dia 3: Conheci La Chascona, uma das três casas-museu do poeta Pablo Neruda  e te aconselho a fazer o mesmo. Ela fica no bairro Bellavista, em Santiago, e ao sair de lá, fui conhecer o Patio Bellavista, uma galeria a céu aberto com muitas opções gastronômicas.

Dia 4: Para completar o tour nos museus de Neruda, peguei 4 horas de estrada para conhecer a casa-museu La Sebastiana, em Valparaíso, e de lá com mais 1 hora de estrada você chega a El Quisco e conhece a última casa-museu: Isla Negra.

Dia 5: Separe o quinto dia para conhecer alguma vinícola do Chile. Elas são conhecidas pelos produtos de alta qualidade e particularmente, te indico a Concha y Toro.

Dia 6: Você não pode sair do Chile sem conhecer o Oceano Pacífico, ok? Então, no sexto dia, pegue 1 hora e 20 minutos de estrada para visitar Viña del Mar. E depois de curtir muito, te indico conhecer o Parque Quinta Vergara que também é uma boa opção de passeio.

Dia 7: No penúltimo dia, eu vi Santiago de cima e me apaixonei. Para isso, é preciso visitar o Sky Costanera, um dos maiores prédios da América Latina com 300 metros de altura.

Dia 8: No último dia faça como eu e aposte em um passeio mais tranquilo, conheça o Bairro Itália em Santiago. Ele tem muitas opções de lojinhas para você comprar presentes para toda a família.

O que fazer em 5 dias no Chile

Dia 1: Para quem tem o tempo mais curto, eu aconselho aproveitar o primeiro dia para conhecer as vinícolas nos arredores de Santiago. Dá tranquilamente para conhecer mais de uma.

Dia 2: Faça um passeio no Valle Nevado, uma das estações de esqui que mais amei conhecer em Vitacura, região metropolitana de Santiago.

Dia 3: Cajon del Maipo também fica na região metropolitana de Santiago e se você for no inverno, como eu, é lindo ver a neve cobrir todo o lugar.

Dia 4: Outro passeio que fiz e é encantador, é a visita ao templo Bahá’í em Santiago. A casa de oração é modelo de arquitetura moderna e surpreende pela beleza.

Dia 5: Pra fechar com chave de ouro, veja Santiago do alto de um teleférico. Me deu um medinho da altura, mas eles são experts em segurança e valeu muito a pena. Com um programa mais light, você estará descansado para voltar para casa.

Passo a passo para organizar a viagem

Para saber como organizar uma viagem para o Chile, você deve lembrar de alguns aspectos básicos que precisam de planejamento prévio, como as passagens, hospedagem e seguro de viagem. Além disso, é preciso trocar o seu Real em Peso Chileno.

Passagens

Para comprar as melhores passagens, eu precisei procurar com antecedência e te indico fazer o mesmo. Pode parecer clichê, mas quanto mais cedo começar a procurar, mais tem possibilidade de encontrá-las em um valor mais acessível.

O fato facilitador na hora de viajar para o Chile é que, por fazer parte da América do Sul, não precisamos de passaporte para viajar. Basta apresentar o RG para entrar no país.

Hospedagem

A hospedagem vai depender muito do que é prioridade para você: conforto, privacidade ou economia. Se você preza por conforto e privacidade, os hotéis são as melhores opções e procurar  em bairros mais afastados do centro, dá pra economizar um pouco.

Mas,  quem prefere gastar mais com passeios do que com hospedagem, existe a opção de contratar airbnb e hostels. Eu preferi me hospedar em um hostel porque amo fazer novos amigos e, assim, poderia conhecer mais pessoas de outros lugares do mundo. 

Seguro viagem

Importante em qualquer viagem e mais ainda nas internacionais, o seguro viagem é um item que não pode faltar no seu planejamento e foi a primeira coisa que eu procurei fazer.

Ainda que o Chile seja considerado um país seguro, o atendimento médico lá não é gratuito, então você precisa estar preparado para as diversas situações.

Por isso eu te indico fazer sua cotação antecipada para garantir um seguro viagem descomplicado com boas taxas e ótimos valores.

Comprar peso chileno

A moeda no Chile é o peso chileno e você vai precisar fazer a troca em casas de câmbio ou no Brasil ou quando chegar ao país. Atualmente, R$1 vale cerca de 131,5 pesos chilenos e a esse valor é adicionado taxas de conversão ou IOF se você utilizar cartão de crédito.

Eu deixei para trocar meu dinheiro quando chegasse no Chile porque sabia que seria o melhor custo benefício. As casas de câmbio no centro de Santiago têm uma oferta melhor e você não precisa pagar grandes taxas de conversão.

Minha dica é que você faça a cotação antes de viajar para saber quanto precisará levar em média na sua viagem. Na dúvida, utilize o conversor de moedas do Banco Central.

O Chile é encantador e até eu estou com vontade de voltar lá!

Comunidade TripHero
Carolina Peres
Carolina Peres Seguir

Ler conteúdo completo
Indicados para você